pagina inicial Petrobras
Tartarugas Marinhas
Visite o Tamar
O que fazemos
Onde estamos
Mais informações

TAMAR participou do Congresso Brasileiro de Oceanografia – CBO

21/11/2016 - Oceanografia e mudanças climáticas, desafios profissionais. Leia mais. ↓

De 05 a 09 de novembro de 2016, aconteceu no Bahia Othon Palace em Salvador, o Congresso Brasileiro de Oceanografia – CBO, organizado pela Universidade Federal da Bahia, com o tema Oceanografia e Mudanças Climáticas – Desafios profissionais. Houve a participação de mais de 3 mil pessoas, entre estudantes, pesquisadores e profissionais da área, em 17 minicursos, cerca de 1.300 trabalhos orais e pôsteres, 21 conferências, 13 mesas redondas. Os pesquisadores do TAMAR apresentaram cinco trabalhos de pesquisa realizados em quatro estados, Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia e São Paulo.

O Congresso teve como tema Oceanografia e as Mudanças Climáticas – Desafios Profissionais, com discussões em torno das mudanças globais no clima que deverão afetar as características físicas, biológicas e biogeoquímicas dos oceanos e das zonas costeiras. Os pesquisadores do TAMAR, o coordenador do TAMAR Ceará, Eduardo Lima, Erik Santos do TAMAR Sergipe, Paulo Lara do TAMAR Bahia e Mari Brito do TAMAR São Paulo, apresentaram quatro pôsteres dos trabalhos realizados ao longo da costa brasileira e fizeram uma apresentação oral.

Os trabalhos em pôster foram: do Ceará - Recapturas de Tartarugas Marinhas em Pescarias nas Comunidades de Almofala e Volta do Rio, Litoral Oeste do Ceará; de São Paulo - Estratégias de Pesca de Espinhel Pelágico e Capturas Incidentais de Tartarugas Marinhas, Implicâncias para Conservação; do Rio Grande do Norte - Migração Pós-Reprodutiva de Fêmeas de Tartarugas Marinhas Eretmochelys Imbricata no Litoral do Rio Grande do Norte; da Bahia - Identificação de Praias que Produzem Machos de Tartaruga-Cabeçuda no Atlântico Sul: implicações para a conservação. A apresentação oral foi Programa TAMAR na Escola - Socializando Informações para a Conservação das Tartarugas Marinhas no Ceará.

O coordenador do TAMAR CE, Eduardo Lima, destacou que os trabalhos contribuíram com a discussão sobre o processo de conservação das tartarugas marinhas e o seu grau de adaptação às mudanças climáticas em áreas de desovas e de alimentação. Por serem animais extremamente suscetíveis às mudanças na temperatura durante várias fases de seu ciclo de vida, tais estudos colocam em perspectiva aspectos biológicos dos indivíduos que colaboram com um entendimento dos caminhos a serem tomados para reduzir os impactos futuros nas populações.

Tartaruga Cabeçuda ou Mestiça

Fernando de Noronha - PE

Centro de Visitantes

Mais informações - Visualizar informações anteriores

Petrobras